fbpx

Qual moto escolher para iniciar no ramo de entregas Delivery?

Escolher uma boa moto para fazer entregas delivery pode ser muito vantajoso. De acordo com o SEBRAE o mercado de delivery está em ascensão desde 2014. Se você está pensando em trabalhar neste segmento, então precisa conhecer os modelos que melhor atendem a este mercado. Mas, qual o modelo de moto adquirir para trabalhar no Ifood e em outros aplicativos delivery?

Escolher o modelo certo, lhe ajudará a diminuir os custos em manutenção e aumentará sua rentabilidade, além da possibilidade de se tornar sua principal fonte de renda. Facilitando o processo de revenda no tempo indicado. Confira as dicas que separamos para lhe ajudar a escolher a moto ideal.

Antes de escolher uma moto para trabalhar

Antes de começar a trabalhar em qualquer negócio, é preciso entender como ele funciona, quando se trata da prestação de serviços como motociclista não é diferente. Entender quais são os modelos mais buscados pelos motociclistas da IFood e outros aplicativos é essencial.

É preciso conhecer ainda, os requisitos da empresa que irá prestar serviço, é interessante consultar a equipe de atendimento dos aplicativos de delivery antes de concluir a compra da moto. Eles poderão lhe ajudar, informando os modelos mais indicados para sua necessidade.

Um dos requisitos que deve ser verificado antes da compra é o estado de conservação da moto, para que você consiga bons resultados com a sua motocicleta.

Qual modelo de moto comprar para trabalhar

O primeiro quesito que deve ser colocado em pauta na hora de escolher uma moto nova, é se vai comprar uma moto 0 km, ou uma moto usada. Geralmente é mais vantajoso comprar uma moto usada, recomendam que a quilometragem não ultrapasse de 10 a 20 mil quilômetros rodados no momento da compra. 

Como seria uma moto para fazer entregas, a motocicleta deve ser, antes de mais nada, econômica. Ela deve ter uma boa autonomia, e as peças devem ser fáceis de achar, além da moto ser resistente, afinal, nenhum entregador quer ficar indo ao mecânico toda hora 

O modelo escolhido pelo motociclista deve satisfazer aos requisitos das empresas de aplicativo, como a IFood, Uber Eats ou James, e o motoboy deve se lembrar que este modelo será responsável pela economia dele nas viagens, ou seja, quanto melhor o modelo escolhido maior será sua rentabilidade.

Trouxemos os modelos mais indicados pela GavClub para os motociclistas realizarem a compra e começarem a trabalhar, entre eles, as motos mais econômicas e mais procuradas por entregadores de aplicativo:

  • Honda Biz:

Além de ser econômica, a Honda Biz é considerada a mais barata para fazer entregas do mercado de delivery, ou seja, é uma moto muito boa para quem tá com o orçamento apertado, mas que, ainda assim, não pode abrir mão de ter uma boa moto pra fazer suas entregas.

Consumo: 52,9 km/l

  • Honda CG Start160:

Quem entende de moto recomenda a CG Start de olhos fechados. Além de ser uma das motos mais econômicas do Brasil, a Start possui 160 cc e uma boa potência. Não é à toa que o modelo da Honda é uma das favoritas de quem trabalha fazendo entregas.

Consumo: Gasolina: 30 km/l 

  • Yamaha YBR 125:

Outra queridinha de quem precisa fazer entregas pracima e pra baixo o dia todo, com muito conforto e economia, é a YBR 125 cc da Yamaha. O modelo tem características bem parecidas com a Honda CG Start, mas suporta uma carga maior no baú.

Consumo: 40 km/l

Onde comprar

Essas motocicletas podem ser encontradas em plataformas de vendas on-line, como a OLX, ou através de empresas de vendas de seminovos. A segunda opção é a mais recomendada, porque possui procedência de mercado e entrega a motorevisada e pronta para começar a rodar com entregas. 

Gastos

  • Motocicleta 0 KM

Quando você adquire uma moto nova, ela ainda não está emplacada e também não tem o CRLV —Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos — e nem o CRV — Certificado de Registro de Veículos. O único documento que ela tem é a nota fiscal emitida pela concessionária em nome do comprador. Nessas condições, essa motocicleta não pode circular livremente.

Segundo a resolução 269/08 do Contran, um veículo novo poderá circular sem as placas apenas por 15 dias após a data de entrega carimbada na nota fiscal e deverá fazer unicamente o trajeto necessário para o emplacamento no Departamento de Trânsito. Portanto, nada de passear com a moto antes de emplacar.

Sabendo disso, providencie rapidamente a sua regularização. Para isso, com a nota fiscal em mãos, você deverá acessar o site do Detran do seu Estado e procurar pela opção de 1º emplacamento de veículos.

Nessa opção haverá um formulário que deverá ser totalmente preenchido. Após essa etapa, será emitido um DAE — Documento de Arrecadação Estadual — com o valor da taxa do primeiro emplacamento, bem como uma ficha cadastral. Junte essa ficha, o DAE pago, a nota fiscal e cópias do seu CPF, RG e comprovante de residência e dirija-se ao atendimento do Detran de sua cidade.

Serão fornecidos a você a autorização para compra da placa e o documento para pagar o IPVA proporcional e o DPVAT. Providencie a placa, os pagamentos e dirija-se novamente ao Detran, dessa vez para selar a placa à moto e receber os documentos. Pronto, agora é hora de curtir a motocicleta nova.

  • Motocicleta Usada ou Seminova

No caso da aquisição de motos já emplacadas, o procedimento é diferente. Caso venha a comprar uma motocicleta usada ou seminova, o proprietário anterior já possui o CRV e o CRLV. Além disso, ela já está emplacada.

Nesse caso, você precisa tomar um cuidado a mais, antes de fechar negócio. É necessário consultar junto ao Detran de onde ela está licenciada para saber se existem débitos em aberto ou algo que impeça a sua transferência, como gravames de financiamento, mandados de busca e apreensão e aviso de roubo.

Após a consulta, estando a motocicleta regular junto aos órgãos de trânsito, você fecha negócio e vem a dúvida: comprei uma moto e agora? Fique tranquilo, pois o procedimento de transferência é simples. O vendedor deverá entregar o CRLV e o CRV, sendo o primeiro usado para circular enquanto a transferência não é feita e o segundo precisa estar preenchido e com a firma dele reconhecida em cartório.

O passo seguinte é procurar um cartório de notas para reconhecer a sua firma como comprador do veículo. Em seguida, acesse o site do Detran do seu Estado e procure pela opção de transferência de veículos. Abrirá um formulário que deverá ser totalmente preenchido com os dados da moto e do futuro proprietário.

A seguir, será emitido o DAE da taxa de transferência e a ficha cadastral. Pague essa taxa e junte esses documentos com o CRV e uma cópia do CPF, RG e comprovante de residência e dirija-se ao atendimento do Detran da sua cidade.

Nesse momento, será feita a conferência da papelada e a vistoria da motocicleta. Serão verificados se ela está com os itens obrigatórios funcionando e dentro dos padrões exigidos em lei, como luzes, escapamento, pneus e retrovisores. Também é conferido se o número do chassi não contém adulterações e bate com o que consta nos documentos.

Caso seja encontrado algum problema, você deverá providenciar a regularização e encaminhar novamente para vistoria. Estando tudo certo, basta aguardar a emissão dos novos documentos para usar a motocicleta com tranquilidade.

Apenas mais um lembrete: o prazo máximo para transferência de um veículo usado é de 30 dias corridos. Extrapolar esse prazo gera uma infração grave: 5 pontos na carteira e cobrança de multa. Portanto, não deixe para a última hora para regularizar os documentos da sua moto.

Tributos

Depois de comprar uma motocicleta, você terá algumas despesas que precisam ser do seu conhecimento, para que não seja pego de surpresa. É o caso dos tributos anuais: IPVA, DPVAT e taxa de licenciamento. Circular com um veículo com os tributos atrasados é uma infração gravíssima. Portanto, procure saber quanto serão essas cobranças da moto desejada.

Aluguel de motos

Como você viu anteriormente, comprar uma moto trás uma série de gastos e tributos, gerando muita despesa para quem quer trabalhar ou depende de uma motocicleta para exercer sua função. Então uma outra alternativa, é o aluguel de uma moto, sua economia vai ser bem maior no início, além de não ter que pagar todos os gastos e tributos da compra de uma moto. A Gav Club conta com o serviço de aluguel de motos, e trás uma série de benefícios para as pessoas que dependem de uma motocicleta para trabalhar. Na Gav você não precisa se preocupar com limite de KM, não tem burocracia e com motos selecionadas para o seu bem estar.

Como visto no artigo, a escolha do modelo da moto para o início do trabalho como entregador delivery dependerá do quanto você pretende investir em uma motocicleta e as exigências das empresas do setor, os aplicativos de entrega delivery como IFood, Uber Eats e James.

Caso não queira iniciar comprando uma moto, você pode optar pelo aluguel de uma, e acabar se livrando de toda aquela burocracia inicial. 

Entre em contato com a Gav para alugar uma moto agora! Siga a Gav Club no Facebook e Instagram para mais novidades!

FONTE: Cometa Honda Auto Center

Tags: , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Posts em destaque
Menu